quinta-feira, maio 16, 2024
More
    InícioDestaquesWilson exonera secretário de Segurança investigado pelo MP-AM

    Wilson exonera secretário de Segurança investigado pelo MP-AM

    Essa ação ocorreu após o general Mansur ter sido um dos alvos da "Operação Comboio"

    O governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), exonerou na noite desta terça-feira, 29, o secretário de Estado de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur. Essa ação ocorreu após o general Mansur ter sido um dos alvos da “Operação Comboio”, conduzida pela colaboração entre o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) e a Polícia Federal, durante a manhã do mesmo dia.

    O general Mansur, que ocupava a posição de chefe da SSP-AM desde agosto de 2021, foi implicado nas investigações relacionadas à “Operação Comboio”. Essa operação visa desmantelar uma suposta organização criminosa composta por funcionários públicos do setor de Segurança, que teria utilizado recursos estatais para ganhos financeiros ilícitos, por meio de práticas como extorsão e peculato (desvio de dinheiro ou propriedade pública).

    A investigação aponta que essa organização criminosa engloba tanto policiais militares quanto civis que fazem parte da hierarquia da SSP-AM. Aproveitando-se de informações privilegiadas, esses indivíduos supostamente se envolviam em atividades ilegais para obter vantagens pessoais.

    Devido à Lei de Abuso de Autoridades, as identidades dos investigados não foram divulgadas. No entanto, o procurador-geral de Justiça, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, confirmou que o próprio secretário de Segurança, General Mansur, está entre os envolvidos. Por conta disso, o caso está sendo conduzido no 2º Grau do Tribunal de Justiça, onde casos envolvendo autoridades de alto escalão são tratados.

    A estrutura da SSP-AM, incluindo veículos e sistemas de informação, teria sido utilizada nos crimes cometidos pelos envolvidos. O nome da operação, “Comboio”, faz alusão ao uso de veículos que se movimentavam em formação durante a execução dos crimes.

    Durante essa fase da operação, não houve ordens de prisão, somente mandados de busca e apreensão que foram executados em Manaus (AM), Apuí (AM) e São Paulo (SP). Algumas pessoas foram conduzidas ou intimadas a prestar esclarecimentos na sede da Polícia Federal em Manaus. Uma pessoa foi presa em flagrante por posse ilegal de armas, enquanto outras três correm o risco de serem presas por posse ilegal de armas, caso a legalidade não seja confirmada para as armas encontradas com elas.

    A sede da SSP-AM, localizada na zona Norte de Manaus, também foi alvo da operação, onde mandados de busca e apreensão foram executados em dois gabinetes. Isso de acordo com informações fornecidas pela Polícia Federal.

    Abaixo, a íntegra da nota divulgada pela SSP-AM:

    NOTA DA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

    O Governo do Amazonas informa a exoneração do Secretário de Estado de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur, com o objetivo de que não haja qualquer tipo de interferência nas investigações coordenadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado e Polícia Federal, que resultaram na operação Comboio, deflagrada nesta terça-feira (29/08).

    O Governo do Estado destaca que os servidores efetivos, também investigados e alvos da operação, foram imediatamente afastados das funções que ocupavam e as demais providencias administrativas serão adotadas a fim de esclarecer os fatos. Já os servidores comissionados foram exonerados dos cargos.

    Por fim, o governo reforça que está auxiliando nas investigações, prestando todas as informações necessárias e que não compactua com quaisquer irregularidades ou atos ilícitos cometidos por servidores públicos.

    Siga nossas redes sociais Instagram  e Facebook

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Últimas Notícias