domingo, maio 26, 2024
More
    InícioBrasilAras faz último discurso no STF como PGR

    Aras faz último discurso no STF como PGR

    Em seu discurso, Aras disse que sua gestão foi alvo de "falsas narrativas" e que a PGR investigou cerca de 500 autoridades.

    O procurador-geral da República, Augusto Aras, disse nesta quinta-feira (21) que as investigações criminais avançaram “sem espetáculos midiáticos” durante os 4 anos de seu mandato no comando do Ministério Público Federal (MPF).

    Na tarde desta quinta-feira, Aras participou da última sessão como procurador-geral no Supremo Tribunal Federal (STF) e fez um discurso de despedida. Na próxima terça-feira (26), o mandato de Aras será encerrado, e caberá ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicar um novo procurador-geral.

    Em seu discurso, Aras disse que sua gestão foi alvo de “falsas narrativas” e que a PGR investigou cerca de 500 autoridades.

    “Combatemos a macrocriminalidade, instituindo o modelo de força-tarefa por 27 Gaecos [Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado ] federais, conduzindo investigações complexas. [Promovemos] Apurações e investigações que, só na PGR, envolveram cerca de 500 autoridades com prerrogativa de foro. Avançaram [as investigações] assim sem espetáculos midiáticos e com respeito irrestrito ao devido processo legal”, afirmou.

    Aras também destacou que houve diminuição do acervo de processos em seu gabinete em relação à gestão anterior. Ele falou também sobre o trabalho desenvolvido pelo órgão durante a pandemia da covid-19 e as eleições presidenciais.

    “Entendemos ter cumprido nosso dever constitucional e cívico, não em trabalho único, pessoal, mas fomos, sobretudo, catalizadores do trabalho harmônico e coordenado de valorosos colegas”, concluiu.

    Após o discurso de Aras, o ministro Gilmar Mendes, decano do STF, falou em nome do tribunal e disse que o procurador-geral assumiu a PGR em um “período desafiador” da história. Em tom moderado, o magistrado elogiou “a postura de equilíbrio e sensatez” de Aras.

    “Sempre defendeu a autocontenção e os limites dessa atuação na implementação de políticas públicas”, disse Gilmar.

    Sucessão na PGR

    Entre os nomes mais cotados para a sucessão de Aras estão o atual vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet, e os subprocuradores Antônio Carlos Bigonha e Mario Bonsaglia, segundo nome mais votado da lista tríplice do Ministério Público Federal.

    Gonet tem apoio dos ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, enquanto Bigonha é bem visto por alas do PT – Mario conta com respaldo dos integrantes do MPF

    Siga nossas redes sociais Instagram  e Facebook

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Últimas Notícias